A vida, sorrisos, histórias, viagens, amigos, novidades, cusquices, banalidades, tormentos e muito de Alcobaça...

.mais sobre mim

.posts recentes

. Falando sobre como somos....

. Brevemente...

. Foi assim uma destas minh...

. Conhecer interiormente???...

. Cifrado?

. Para ti...hoje...

. Traveller Candy

. Em breve por terra das sa...

. 403 Euros?

. Sugestão.

.arquivos

. Agosto 2010

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Agosto 2005

. Julho 2005

.links amigos

Quinta-feira, 25 de Maio de 2006

Violência no Brasil...

Retirei do blog da grazi o seguinte:

UMA CARTA DE UMA MÃE PARA OUTRA MÃE.

Hoje vi seu enérgico protesto diante das câmeras de televisão contra a transferência do seu filho, menor infrator, das dependências da FEBEM em São Paulo para outra dependência da FEBEM no interior do Estado.
Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes decorrentes daquela transferência.
Vi também toda a cobertura que a mídia deu para o fato, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação, contam com o apoio de comissões, pastorais, órgãos e entidades de defesa de direitos humanos.

Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender o seu protesto.
Quero com ele fazer coro. Enorme é a distância que me separa do meu filho.
Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo. Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família.
Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha, para mim, importante papel de amigo e conselheiro espiritual.

Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou estupidamente num assalto a uma videolocadora, onde ele, meu filho, trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.
No próximo domingo, quando você estiver se abraçando, beijando e fazendo carícias no seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores no seu humilde túmulo, num cemitério da periferia de São Paulo...

Ah! Ia me esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranqüila que eu pagarei de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá na última rebelião da Febem, tá?

Relacionado:

Brasil, número de mortos na onda de violência sobre para 174, segundo fontes oficiais. Mais... ( in Diário Digital )


publicado por pim às 11:06

link do post | comentar | favorito
|

5 comentários:
De ana a 25 de Maio de 2006 às 11:55
bolasssssssssssssss


De MB a 25 de Maio de 2006 às 13:13
O Brasil e em especial a grande S. Paulo são locais complicados. Estas últimas manifestações são apenas um ténue reflexo do que é o Brasil dos dias de hoje e da degradação social que foi atingida.
Vi recentemente um documentário que comparou S. Paulo a Bagdad e em todas as estatísticas apresentadas S. Paulo levava a melhor em termos de número de baixas. Em termos nacionais, sabem que no Iraque, zona de conflito já morreram este ano 7600 pessoas. No Brasil foram assassinadas 7400... Em S. Paulo morreram no fim-de-semana dos confrontos cerca de 70 pessoas, em Bagdad o número ficou-se pelas 50.
E não pensem que este fenómeno se traduziu em números atípicos. O numero normal de homicídios em S. Paulo é gigantesco.
O país ficou entregue à violência e ao "salve-se quem puder". Não se pode confiar em ninguém e o valor da vida humana é praticamente nulo para a quase maioria dos malfeitores.
A prática dos raptos atingiu valores terríveis e actualmente já são raptadas pessoas sem posses com pedidos de resgate inferiores aos 100€. Na minha ultima visita ao país, vi na televisão uma família em desespero porque haviam raptado um parente, funcionário da mercearia da família e pedido um resgate na ordem dos 120€. A família não teve condições de pagar e o senhor foi morto.
E o pior é que a tendência é para um agravamento da violência...


De Grazi a 25 de Maio de 2006 às 23:12
Na verdade o pior é que o mundo inteiro so´interfere quando morrem os bandidos, mas quando morrem os cidadão comuns, todo mundo olha pra nós com vergonha. Há uns anos houve o massacre na cadeia do carandiru e vieram pessoas importantes, influentes e famosas do mundo inteiro defender os direitos dos bandidos que foram lá assassinados. Bandidos que tinham assassinado outras pessoas, sequestradores, etc, mas isso ninguém lembrou. Mas nesse fim de semana saiu nos jornais do mundo inteiro o que aconteceu em Sâo Paulo, e sabem quantos representantes dos direitos humanos vieram pra defender os policiais que morreram, ou os cidadão que iam trabalhar??? Nenhum! Só há direitos humanos pra bandidos. Todos os dias morrem no Brasil mais pessoas que em Bagdad, mas isso não importa, desde que não sejam bandidos. Mas se a policia acerta um só bandido e esse morre, vem pra cá o vaticano em peso, vem a ONU, vem todo mundo reivindicar direitos humanos. Dizem que a inversão de valores é brasileira, mas acho que é mundial.
Carandiru virou filme e até hj todo mundo se doi com aquelas mortes, se envergonham. E quanto a esse final de semana em São Paulo? Vai virar filme tbm? Alguém, além das famílias vai chorar a morte daquelas pessoas? Duvido! Hj na tv já se fala só da copa e dos gols que o Brasil vai fazer, mas da tragédia, ninguémvai lembrar mais..


De MB a 26 de Maio de 2006 às 09:47
Grazi, infelizmente isso não se passa só no Brasil... Até mesmo cá em Portugal, quando um polícia é assassinado por um bandido, nada se passa... Foi um acto normal resultante de este e daqueles problemas sociais... Se for o inverso, abre-se um inquerito para saber o que se passou e o polícia mete-se em graves problemas...
É a nossa sociedade, protectora dos coitadinhos...


De Grazi a 26 de Maio de 2006 às 11:42
Olá MB, mas justamente por isso! Acontece no mundo todo! Mas quando é no Brasil vira capa... Todo mundo sabe dos massacres diários aos cidadãos honestos aqui. Mas teve rebelião na prisão, então virou notícia... é triste ver que pra mídia e pro resto do mundo a vida de um bandido, um assassino vale mais que a de um cidadão honesto... Muito triste mesmo! E amis triste ainda é morar atrás da delegacia, e mesmo assim não se sentir segura, e acordar todos os dias com o barulho dos tiros.. é assim que vivo... Todos os dias da minha vida! E ainda sou feliz! moro no rés do chão e aqui em casa nunca caiu bala, mas no andar de cima, cai sempre.
Por acaso o sequestro que vc viu saiu no jornal, mas já é tão "comum" por aqui acontecer isso, que já não é mais notícia...
Essa semana vi ma reportagem de uma ong brasileira que estava enviando ajuda aos países africanos.. Não entendo como podem se preocupar mais em ajudar os outros que aos seus irmãos...
Queria que ao menos uma vez o governo tivesse a coragem de dizer que estamo vivendo uma guerra civil, e passasse a agir de acordo pra poder dar mai segurança às pessoas.


Comentar post

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31